A mocinha ainda mais deslocada e mocinho não mais tão perfeito


Uma vez, eu fiz um post sobre o livro “Para sempre”, da série “Os imortais”. Falei sobre a mocinha, (Ever), e do quanto ela tinha atitude.
Nesse segundo livro, novamente, ela foi até mais esperta do que eu seria em algumas partes.
Ela “teve” a opção de salvar sua família, de voltar no tempo, impedir que eles morressem, que a sua vida mudasse. Mas para isso, ela também abriria mão do amado Damen, o bonitão imortal que a transformou em imortal.
Entre concertar um erro do passado (salvando assim sua família e retomando a vida que tinha antes) ou ficar com o seu amor, o que fazer?
Diferente da maioria das mocinhas, ela escolhe a primeira opção! Claro, é o correto a fazer, é o que eu faria!
Quer, dizer, não é correto por que EU faria, só que é a opção racional. Além de que, se ela voltasse ao passado e impedisse a morte de seus pais, ela não teria sofrido horrores (e essa menina sofreu!) e também NÃO teria conhecido o Damen. Simples assim. Indolor.

Bem, não deu certo de qualquer modo, mas esse não é o ponto principal.
A sinopse do livro é a seguinte:

“Ever é agora uma imortal. Iniciada nesse mundo desconhecido e sedutor por seu eterno amado, Damen, está empenhada em conhecer e dominar suas novas habilidades, mas algo terrível começa a acontecer. Acometido por uma doença misteriosa que ameaça, inclusive, sua memória, Damen não percebe que seus poderes se estão esvaindo – enquanto Ever se sente cada vez mais forte.

Desesperada para salvá-lo, ela viaja até a dimensão mística de Summerland, onde não apenas toma conhecimento da misteriosa história de Damen, brutal e torturante, mas também tem acesso aos segredos que regem o Tempo.

Com a lua azul que se aproxima, anunciando uma oportunidade única de se projetar para o passado ou para o futuro, Ever é forçada a decidir entre voltar no tempo e impedir o acidente que tirou a vida de toda a sua família ou ficar no presente e salvar Damen, que parece definhar a cada dia.”


Pois, é, no livro, Damen simplesmente se esquece do amor que tinha pela Ever, mas ao envés de virar uma zumbi depressiva, ela percebe que algo está errado. Mesmo com tudo contra ela, ela persiste e confia em sua intuição.
Ela não se deixa enganar pela beleza do vilão, Roman, e nunca cede, independente do quão charmoso ele possa ser (mas não para mim, não curto caras muito simpáticos e/ou sociaveis). Sem precisar de proteção ou depender de alguém (apesar de ter tido uma ajuda de uma astróloga), ela resolve todo o mistério e confirma sua suspeita sobre Roman.

Até aí tudo bem, ela foi esperta, e avançou mais do que eu teria feito no lugar dela (provavelmente, eu teria desistido bem antes).
O que me chocou foi o seguinte, no final, quando o Damen está morrendo, a idiota confia no vilão e ferra tudo!
Ela acredita que ele pode curar o Damen, e faz o que ele pede, provocando assim...

ABSTINÊNCIA SEXUAL ETERNA!

É mais ou menos assim: Damen foi curado, mas eles não podem trocar fluidos corporais porque seus DNA não podem se misturar, se não, o bonitão morre! Sem abraços, sem beijos e muito menos sexo.

Ao final, Roman diz que ele pode ter uma cura para a “maldição”, mas o maldito desaparece!
Espero sinceramente que o próximo livro mostre que eu estou errada e que tudo tenha tido um propósito!

E principalmente, que a história tenha um final feliz!

Dark Shadows


Minhas “Coisas” cinematográficas favoritas:

1.Jhonny Depp
2.Tim Burton
3.Vampiros

E agora juntos num filme só!!

Dark Shadows será uma adaptação da série televisiva de 1966, que conta a história de Barnabas Collins (Johnny), um vampiro que beira os 200 anos de idade que é libertado de seu caixão para ajudar e aterrorizar os habitantes da cidade de Collinwood. Na série ainda há bruxos, lobisomens, monstros e até viagens no tempo! Lógico que vai ser difícil passar os cerca de 1200 episódios em um filme, mas com um universo tão rico e fantasioso, onde o Tim vai ter toda a sua liberdade, tenho certeza de que será um excelente filme!

Bela Adormecida? Nããã... Malévola é o que há!


P:Qual é o meu conto de fadas menos preferido?
R:A Bela Adormecida

(Depois vem Alice no País das Maravilhas...)

Não é notícia nova, mas o Tim Burton vai fazer um remake no clássico. Lógico que vai ser a lá Tim Burton!
Dessa vez a história será focada em Malévola, a fada má e o filme se chamará Maleficent (Dã...).

Ainda não sei se gosto ou não disso. Alice foi uma decepção, eu esperava tanto e quase dormi no cinema (não assisti em 3D...). Agora ele vai tentar dar um jeito em mais um conto de fadas entediante, e pode não conseguir.

O Tim é o meu diretor favorito. Mas quando ele tem toda a liberdade para produzir o que ele de fato deseja. Claro que a Disney foi importante na minha vida, é até hoje, mas não acho que misturar esse mundo “fofo” dela com o mundo “excêntrico” do Burton seja sempre uma boa ideia.

Talvez eu esteja sendo preconceituosa ao pensar assim. Talvez Alice no País das Maravilhas tenha sido um excelente filme. Mas não estou criando muita expectativa para essa produção.

Por enquanto, prefiro Tim Burton fazendo filmes de Tim Burton!

Hardneja Sertacore

Não curto muito sertanejo... Na verdade, não gosto mesmo de sertanejo. Mas tenho que admitir que algumas músicas do gênero marcaram muito a minha vida, em especial a minha infância. Quando eu era pequena, só se ouvia duplas como “Leandro & Leonardo”, “João Paulo & Daniel”, “Zezé di Camargo & Luaciano”, “Chitãozinho & Xororó”, etc. Muitos momentos felizes e marcantes aconteceram com suas músicas ao fundo, mas hoje em dia, meu gosto musical é diferente, ainda que essas músicas (♪“vem meu céu, meu pão-de-mel, meu bem quereeer...”, “pense em mim, chore por mim, liga pra mim, não, não liga pra ele...”, “Estou apaixonado, e esse amor é tão grandiii...”, “e nessa loucura, de dizer que não te queto, vou negando as aparências, disfarçando as evidências, mas pra que viver mentindo, se não posso enganar meu coraçãããão...”♫) me emocionem.
Lá estava eu vagando pela net, quando cismo de ouvir uma dessas pérolas, e me aparece o seguinte:
HARDNEJA SERTACORE - PENSE EM MIM
“Deve ser uma mistura de sertanejo com hardcore...”, foi minha nada óbvia dedução sobre a banda.
Cliquei no link, ouvi, e adorei! Depoois disse ouvi todas as demais como “Evidências”, “Dormi na praça”, “Pão-de-mel”, “Você vai ver”, e mais um monte, até umas mais moderninhas como “Fada”.
Muito bem feito o ramake, as músicas da banda são empolgantes e bregas ao mesmo tempo, curti.