Lost in Austen


Amo com todo o meu coração a obra “Orgulho e Preconceito”. Acho fascinante um livro tão antigo apresentar uma personagem feminino tão cheia de convicções e independência.
A história fala sobre Elizabeth Bennet, uma mulher criada por uma família do campo pobre e não muito bem educada. Elizabeth não era a mais bonita, não era a mais rica, não era a mais talentosa, não havia nada nela, além de sua personalidade que a destacasse. Mas mesmo assim, ela conquistou o melhor partido do lugar, Mr. Darcy.
Ele se declarou a ela, mas ela não gostava dele, de fato, a atitude do homem até então havia sido deplorável. E então, Lizzy deu o fora no cara.
Quero dizer, quantas mulheres seriam capazes de dar um fora em um cara tão lindo e rico? (nem sobre mim posso ter certeza da resposta)
Mas no fim, ele mostra que é um cara legal, a conquista e eles vivem felizes para sempre.


Mas de repente, surge uma nova minissérie, “Lost in Austen”. Que conta a história de Amanda Price, uma mulher moderna, que também ama com todo o seu coração a história de amor de Elizabeth e Mr. Darcy. Um dia, então, Elizabeth Bennet acaba aparecendo no seu banheiro e a própria Amanda vai parar na época de Elizabeth.
Presa em um novo “mundo”, Amanda tenta fazer com que as coisas aconteçam como no livro, mas não consegue a a história toma rumos completamente imprevisíveis. Inclusive ela se apaixona por Mr. Darcy (o que nunca foi sua intenção), e ele por ela.
O final é completamente inesperado e por isso mesmo, lindo!
Jane Austen se reviraria no túmulo com isso, mas ainda assim, foi uma das melhores adaptações de clássicos que já assisti.






(ri muito nessa cena...)